Produção de feno

Feno é o processo de desidratação da forragem, mantendo o valor nutritivo proporcionando maior durabilidade e capacidade de armazenagem. Desidratando a forragem, podemos armazena-la por uma período maior sem comprometer a qualidade e seu valor nutritivo.

Para inicia o corte da gramínea, a mesma deve conter 70 à 85% de umidade. Após o trabalho de movimentação da planta, a mesma vai se desidratando, atingindo um percentual de aproximadamente 15% de umidade. Um feno que contenha um percentual de umidade elevado, poderá entrar em processo de fermentação e até mesmo combustão.

O bom feno é palatável e nutritivo. Através da sua concentração, um quilo de feno pode e deve substituir três quilos de silagem de milho ou sorgo.

O processo de secagem começa quando a planta é cortada. Alterações mecânicas no tecido da planta aumentam a taxa de secagem pela ruptura dos tecidos (células) facilitando o movimento de água e aumentando a superfície de evaporação. Portanto, secagem mais rápida, por um ou outro processo, determinará menores perdas na respiração e conseqüentemente obtêm-se uma forragem conservada com valor nutritivo mais elevado.

A disposição de forragem verde em leiras, embora pequenas e frouxas, imediatamente antes do preparo das medas, prolongará o tempo necessário para a cura do feno exceto em um clima muito seco. A cura realizada lentamente aumenta o risco de prejudicar a fenação no caso de chuvas. O enleiramento da forragem verde dá margem aos acidentes, com fermentações e emboloramento do feno.

O uso da irrigação e fertirrigação proporcionaram aumento de produção mesmo no período tipicamente de chuvas.

Mídia

Mais nesta categoria: « Pecuária